Após resultado de sindicância, secretária de Saúde anuncia medidas para o Isea

Coletiva_Luzia_pinto_iseaA secretária municipal de Saúde de Campina Grande, Luzia Pinto, apresentou na tarde desta quarta-feira, 01, as medidas que serão tomadas após o resultado da sindicância que apurou as responsabilidades do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) no óbito da doméstica Maria José Saraiva Leite, ocorrido na maternidade do dia 16 de fevereiro deste ano.

O relatório final da comissão de investigação foi apresentado durante entrevista coletiva, que aconteceu no auditório do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais – Ipsem.

Na abertura da coletiva de imprensa, o presidente da Comissão de Sindicância, Antônio Henriques de França Neto, explicou que o processo de investigação foi instaurado dois dias após a morte da paciente e fez um relato do trabalho realizado pelos três membros da comissão.

O médico também informou sobre as possíveis falhas apontadas no atendimento à paciente. No final, ele discorreu sobre as sugestões de medidas que podem ser adotadas no fluxo de atendimentos e no processo de trabalho dos profissionais do Isea.

Após a apresentação da conclusão do relatório final da sindicância, a secretária Luzia Pinto destacou a importância do trabalho realizado pela comissão e informou que a Secretaria de Saúde acatou parte das recomendações da sindicância.

Ela explicou também as medidas que já estão foram adotadas, inclusive o afastamento imediato e preventivo de dois médicos e quatro técnicos de enfermagem que atenderam a paciente.

Com o afastamento preventivo dos dois médicos, o relatório, o qual é sigiloso, será encaminhado ao Conselho Regional de Medicina – CRM, que é órgão responsável por apurar as possíveis infrações éticas daqueles profissionais na condução da paciente.

Cópias do documento também serão entregues ao Conselho Municipal de Saúde – CMS, Ministério Público Federal – MPF e Ministério Público Estadual – MPE-PB.

O procurador geral do Município, Antonio Fernandes Mariz, também participou da coletiva de imprensa e explicou que, enquanto os médicos estiverem afastados das suas atividades, a Procuradoria irá instaurar um processo administrativo disciplinar para apurar se realmente houve responsabilidade dos profissionais no óbito da gestante.

Após a apuração, deverão ser anunciados quais os procedimentos administrativos serão adotados no caso.

Ainda sobre as medidas para otimizar o atendimento no Isea, Luzia Pinto assegurou que a Secretaria Municipal de Saúde já contratou doze profissionais de enfermagem para o setor de Gestação de Alto Risco.

Também estão sendo implantados protocolos e a maternidade vai passar a emitir boletins das pacientes. Ainda foi anunciada a mudança no comando do laboratório do serviço e a mudança para o sistema de diarista na escala de plantão dos médicos.

“Grande parte das recomendações do relatório já vinha sendo discutida e estava em fase de implantação. Outras intervenções como a criação de nova enfermaria, da Casa da Gestante e da UTI Obstétrica também são ações diretas da Prefeitura de Campina Grande, promovidas nos últimos dois anos, para melhorar e humanizar o atendimento no Isea”, finalizou a secretária.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO