Campina contará com plano de desenvolvimento estratégico para 20 anos

andre_agra_1Campina Grande vai contar com um planejamento estratégico de longo prazo. Esta ação inovadora será de fundamental importância para o desenvolvimento da cidade nos próximos vinte anos. Foi o que revelou nesta segunda-feira, 20, o secretário municipal de Obras, André Agra. O plano terá três etapas, sendo projetadas metas e ações de curto, médio e longo prazos.

“Este tipo de ação nunca foi feito na história cidade, sendo mais uma meta do prefeito Romero Rodrigues, que almeja pensar Campina Grande no presente, mas, ao mesmo tempo, planejá-la para o futuro. Campina, portanto, retoma agora a sua tradição de planejamento, esquecida ao longo do tempo. O saudoso prefeito Evaldo Cruz, na década de 70, por exemplo, fez um planejamento para um triênio. Contudo, nunca tivemos o registro de um planejamento destinado a longo prazo”, lembrou.

Segundo ele, o planejamento a ser feito terá como título “Agenda da Esperança – Carta de Navegação”. Pela sua expectativa, ele oferecerá a esperança de Campina Grande se reencontrar com um caminho realmente de crescimento, iniciando-se um novo ciclo de progresso econômico da cidade e da própria região polarizada pela “Rainha da Borborema”.

Para o desenvolvimento deste trabalho de planejamento estratégico foram realizados contatos com a empresa Macroplan, uma da melhores consultorias do País, responsável por este tipo de estudos em cidades ou Estados do nível de Niterói (RJ), Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Norte. O seu líder, Cláudio Porto, iniciou o trabalho de planejamento do Suape, em Recife, além de montar planos estratégicos de vários órgãos, como a Petrobrás. Serão usados, assim, como parâmetros algumas cidades do Brasil que deram certo, a exemplo de Maringá, no Paraná, que tem um padrão de vida diferente por conta de um planejamento de mais de quarenta anos.

A exemplo, também, do que foi feito no município de Niterói, em Campina Grande foram convocadas as principais lideranças empresariais da cidade. O intuito é concretizar um projeto que não seja mais uma agenda do Poder Público Municipal, mas da própria sociedade, tendo sido acionada para encabeçar todo esse processo a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba. (Fiep).

André Agra registrou que após vários estudos houve uma primeira reunião, na qual foram apresentadas propostas de elaboração do planejamento estratégico municipal para as principais lideranças empresariais da cidade. O projeto foi muito bem recebido, sendo considerado pelo próprio empresariado um verdadeiro marco histórico para o processo de desenvolvimento econômico local.

O passo seguinte, conforme revelou, foi a montagem de um comitê gestor que fará sucessivas reuniões. Ainda no final deste mês, haverá um encontro para discussão de novas ações, além da assinatura de um convênio entre a Macroplan e a Fiep. Com o isso, o pagamento para elaboração do projeto não vai envolver recursos públicos, fazendo com que a iniciativa passe a ser mais da cidade do que da própria gestão Romero Rodrigues.

“A meta do prefeito Romero Rodrigues é fazer algo que realmente funcione de forma compartilhada entre os diversos segmentos sociais, empresariais e públicos de Campina Grande. Isto fará com que os próximos gestores municipais se acostem ao planejamento, com ações estruturadoras dentro de um âmbito maior”, completou.

Na visão do secretário André Agra, a verdadeira mola propulsora deste novo cenário, com base num planejamento estratégico, será o Complexo Aluísio Campos, tido como “a Suape paraibana”. Por isso, esse tipo de projeto precisa ser submetido a rigorosos critérios e outras medidas de planejamento capazes de garantir resultados exitosos para o desenvolvimento da cidade. Pelo que já se constatou, qualquer erro agora poderá macular ou prejudicar no futuro a potencialidade do projeto em torno do Aluísio Campos.

Assim, como vai extrapolar o tempo da gestão Romero Rodrigues, o planejamento não é uma mera ação administrativa do atual governo do Município, devendo se consagrar como “verdadeiro projeto de Campina Grande”. Conforme relatou, Campina Grande tem potencial para ir mais longe, com a criação e expansão de alternativas econômicas capazes de alavancar ainda mais o seu progresso. Porém, o maior segredo será o planejamento estratégico e de longa duração.

“Quem planeja tem futuro, quem não planeja tem apenas destino, conforme já ensinou o polêmico economista Delfin Neto. Desta forma, Campina Grande não pode ficar ao sabor do destino, perdendo o trilho do seu progresso. A cidade passou por vários ciclos de desenvolvimento, mas precisa de um novo ciclo forte. Com o advento do Completo Aluísio Campos se fortaleceu esta ideia de planejamento futuro, pois se trata de um projeto para dez ou quinze anos. Por isso, precisávamos pensar bem além da própria gestão Romero Rodrigues”, concluiu o secretário.

Fonte: Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO