Evento incrementa a economia de Campina Grande e região

Como ocorre em todos os anos, o Maior São João do Mundo proporcional um substancial incremento na economia de Campina Grande e região, extrapolando a classificação de um simples evento do calendário do folclore nacional.
Em média, durante os 30 dia,     oriundas de todas as partes do Brasil e até do exterior,  cerca de dois milhões de pessoas passam pelo evento, que também pontifica na mídia nacional e internacional, transmitindo o relevo da dimensão dos festejos.

“Isso tem considerável impacto em todos os setores econômicos da cidade, sobretudo nas áreas de serviços, restaurantes, bares e hotéis”, explica o secretário Luiz Alberto que, quando estava à frente da pasta de Desenvolvimento Econômico lidou diretamente com a organização do evento e seus números.

Esses reflexos são atestados por todos os setores, inclusive a Câmara de Diretores Lojistas e Associação Comercial de Campina Grande. Mesmo com o adiamento do início da festa, que mudou de primeiro de junho para oito do mesmo mês, quase em nada afetou as reservas nos hotéis da cidade, que já trabalhavam com a quase lotação para o ápice do evento.

“Ao longo dos anos,      conseguimos atrair pessoas que buscam conhecer os nossos artistas, a nossa cultura e gastronomia. Ninguém poderia, então, imaginar que numa época tão difícil, Campina Grande conseguisse tamanho êxito”, explica Luiz Alberto, ao se referir 2015 e 2016, anos em que o País estava mergulhado uma profunda   crise econômica.

O Maior São João do Mundo não rende dividendos apenas para a cidade. As cidades periféricas se beneficiam com vendas de peças e serviços, como Lagoa Seca e Queimadas. Em serviços, esse beneficiamento é mais abrangente e a própria capital, João Pessoa, aumenta por esta época a quantidade de hóspede nos hotéis.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO