Exposição itinerante evidencia patrimônio histórico-cultural de Campina Grande

Uma exposição itinerante está resgatando e evidenciando o patrimônio histórico-cultural de Campina Grande. A ação é realizada pela Prefeitura de Campina Grande, através das Secretarias Municipais de Educação e de Cultura. A cerimônia de abertura da exposição “Campina em Cena” aconteceu na manhã desta quarta-feira, 31, no auditório da Secretaria de Cultura.

Inicialmente, a exposição, que tem como curador o professor Pedro Mineiro, está montada no hall de entrada da Secretaria de Cultura, ao lado do Terminal de Integração, mas a proposta é de que o material exposto seja levado para as escolas municipais e particulares, além de outros ambientes públicos e privados, onde possa ser contemplado pelo maior número de pessoas possível.“A exposição tem um caráter pedagógico por tratar exatamente da memória de Campina Grande, resgata todo o patrimônio histórico, cultural, material e imaterial, que é importante ser conhecido e preservado, a exemplo da Feira Central, certificada pelo Iphan como patrimônio imaterial do país”, pontuou a secretária de Educação de Campina Grande, Iolanda Barbosa.

A secretária acrescentou, que a exposição nas escolas tem como foco gerar aprendizado com significado, tanto nas crianças que estão na rede pública de ensino  como, principalmente, na rede privada porque há uma integração, por meio de um currículo, de toda uma rede de ensino no município de Campina Grande.

Já o secretário municipal de Cultura, Joselito Germano, destacou a necessidade de preservar os aspectos culturais de Campina Grande. “Eu acho que a gente tem que modernizar a cidade e olhar pra frente sem esquecer-se do passado, que é muito importante para nossa história, para a história de Campina Grande, da Paraíba e do Brasil”, ressaltou.

Ao todo estão expostos 18 banners com fotografias do antes e depois de importantes edificações construídas em Campina Grande no século passado. Entre os destaques estão: o Largo da Matriz; Palacete Municipal; Colégio das Damas; Cine Babilônia; Centro; Castelo da Prata; Mercado Velho; Teatro Severino Cabral; Parque do Povo; com produção textual do professor Walter Tavares.

Para receber a exposição, as instituições devem fazer o agendamento na sala 1 do Centro de Tecnologia Educacional (CTE), no caso de escolas públicas, e na Secretaria de Cultura, para as escolas privadas e outras instituições. A ideia é que nas duas primeiras semanas de cada mês a exposição aconteça nas escolas públicas e nas duas últimas todo o material esteja disponível para ser exposto nas instituições privadas.

Participaram da solenidade de abertura da exposição a representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a senhora Terezinha Figueiredo; a coordenadora do patrimônio nas escolas, Geovana Aquino; o administrador da Feira Central, Agnaldo Batista; a representante do Sebrae, Rosa Maria Correia; o idealizador do Blog Retalhos de Campina, Emanuel Souza; a representante do Instituto Solidarium, Eneida Agra Maracajá; o representante do Instituto Histórico de Campina Grande, Wanderley Brito;  além da representante das escolas particulares, Luciene Sousa.
Fonte: Codecom

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO