Nova forma de pesquisa da Cesta Básica leva em conta gostos do consumidor campinense

Como forma de melhorar ainda mais a pesquisa dos campinenses na hora de fazer as compras mensais de supermercado, o Procon Municipal está lançando a mais nova pesquisa da Cesta Básica Alimentar que agora conta com mais produtos e passa a se chamar Cesta Básica Regional de Campina Grande. Para o mês de setembro o valor médio da Cesta foi de 229,53 reais.

A pesquisa realizada em parceria com o Departamento de Estatística da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) nos dias 26 e 28 do mês passado constatou, que se o consumidor fizer uma boa pesquisa entre os 10 supermercados visitados pode ter uma economia de até 72,18 reais comprando no estabelecimento com o preço mais em conta.

Rivaldo Rodrigues, coordenador executivo do Procon de Campina Grande explica que antes o órgão realizava a pesquisa dos 13 produtos da “Cesta Básica Alimentar – Ração Essencial Mínima”, estipulada por metodologia do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). No entanto, essa pesquisa não satisfazia os anseios do campinense.

“O Procon então resolveu ampliar essa lista de produtos e assim criou a Cesta Básica Regional de Campina Grande, que contempla os 13 produtos Cesta Básica Alimentar acrescida de 42 produtos que entram na rotina de compras do consumidor paraibano. Agora o campinense poderá conferir na pesquisa os preços de 55 produtos que entram na sua lista mensal de compras e assim fazer uma melhor decisão de escolha”, conclui Rivaldo.

Quem acessar a pesquisa no site do Procon http://procon.campinagrande.pb.gov.br/ verá não apenas o preço médio da Cesta Básica Regional de Campina Grande, mas pode verificar que o  supermercado com menor valor apresentou uma cesta com preço de 197,67 reais e que outro estabelecimento superou os demais com uma cesta no valor de 269,85 reais. O relatório também mostra todos os preços dos 55 produtos por estabelecimento e ainda o custo da Cesta Básica Regional no rendimento de um indivíduo que recebe um salário mínimo de R$ 954,00. Para o mês de setembro, o campinense gastou 24,06% do seu ordenado com a compra da Cesta, restando 75,94% do salário para outras despesas, como por exemplo: água, luz, telefone, internet, cartão de crédito, transporte, medicamento, entre outras.

Poderá conferir também a variação de preços dos 13 produtos da Cesta Básica Alimentar – Ração Essencial Mínima. Em setembro, por exemplo, vimos que a o quilo da banana teve uma diferença de         308% no seu preço. Ou seja, quem pesquisa pode encontrar o produto aos valores de R$ 1,59 a R$ 6,48, e se comprar o valor mais em conta pode economizar 4,89 reais. Também apresentou uma boa variação de preço o quilo da farinha de mandioca, de R$ 1,85 a R$ 4,99 (170%), uma diferença de R$ 3,14 e o tomate longa vida, você pode encontrar o quilo do produto ao preço de R$ 1,99 a R$4,28, uma diferença percentual de 115%, ou seja, uma diferença de preços de R$ 2,29. “Comprando esses três produtos ao preço mais em conta ao final o consumidor poderá ter uma economia de 10,32 reais, bem significativa para o bolso”, destaca Rivaldo.

Para a pesquisa de setembro foram visitados 10 estabelecimentos localizados em Campina Grande, são eles: Assaí Atacadista, Extra, Hiper Bompreço, Maxxi Atacado, O Filezão, Rede Compras, Supermercado Ideal, Tropeiros, Atacarejo e Hiper Todo Dia.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO