PMCG inicia Ação Intersetorial de Enfrentamento às Drogas

enfretamento_drogaA Prefeitura Municipal de Campina Grande deu início, nesta quinta-feira, 16, ao programa de Ação Intersetorial de Enfrentamento às Drogas. Uma reunião discutiu as diretrizes do projeto e elegeu os primeiros membros de uma Comissão de Combate às Drogas, que será formada ao fim do planejamento deste trabalho.

A ação é fruto de uma recomendação do Ministério Público Estadual para elaboração de estratégias de combate às drogas na cidade. Diversos segmentos da sociedade estiveram presentes neste primeiro encontro, realizado no bairro de José Pinheiro, englobando Agentes Comunitários de Saúde e profissionais de educação, no Distrito Sanitário I.

O trabalho está sendo desenvolvido pela Secretaria de Saúde, por intermédio da Rede de Saúde Mental; em parceria com as Secretarias municipais de Educação e Assistência Social, de forma integrada. Outras esferas como forças de segurança pública, sociedade civil, Grupos de Alcoólicos Anônimos, Poder Legislativo Municipal, igrejas e lideranças comunitárias fazem parte das discussões e ajudam a compor esta frente de reação ao poder das drogas no município.

A Rede de Saúde Mental, responsável pelo tratamento dos usuários de drogas, coordena a ação e vai realizar as reuniões em todos os demais Distritos Sanitários, até que as discussões formulem o plano diretor do trabalho e a Comissão seja formada. Algumas ações já são desenvolvidas, a exemplo do Programa Saúde na Escola, que orienta os estudantes sobre as consequências do uso de drogas e encaminha os usuários para tratamento.

Campina Grande, atualmente, tem nove Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), divididos por atendimentos e especialidades, abrangendo crianças, adolescentes e adultos, nas mais diversas possibilidades de sofrimento psiquiátrico e dependência química. São seis Residências Terapêuticas, sendo três femininas e três masculinas; um Centro de Convivência Cultural, que proporciona atividades artísticas e culturais entre os usuários; e um chalé, na Vila do Artesão, de exposição e comercialização de produtos produzidos pelos pacientes. Ao todo, 7.500 pessoas fazem uso dos serviços da Rede, em Campina Grande. A gestão Romero Rodrigues implantou, no Hospital Dr. Edgley Maciel, o primeiro centro de leitos psiquiátricos dentro de um hospital geral, conforme orienta o Ministério da Saúde. São 20 leitos especializados.

“Precisamos trabalhar preventivamente, expandir as ações de prevenção ao uso das drogas na cidade e resgatar os usuários de forma mais efetiva. Este trabalho deve virar uma política contínua para os próximos anos e vai fazer uma diferença na cidade. Vamos juntar todas as classes, convocar as entidades que já fazem o trabalho de tratamento de forma voluntária, as polícias, as escolas e começar este enfrentamento”, disse a Coordenadora de Saúde Mental do município, Elizabeth Ludgério.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO