Prefeitura de Campina Grande intensifica preparativos para concurso público com 400 vagas disponíveis

O secretário de Administração de Campina Grande, Paulo Roberto Diniz, assegurou nesta terca-feira, 30, durante entrevista ao Programa Correio da Manhã, da 98 FM, que a Prefeitura está intensificando os preparativos para a realização do concurso público anunciado pelo prefeito Romero Rodrigues, ainda este ano, com projeção para até 500 vagas, em vários setorss.

Para tanto, uma comissão tem se reunido quinzenalmente desde o ano passado, segundo Paulo Diniz. Este trabalho envolve várias secretarias com a finalidade de se definir o perfil e o total de vagas e cargos.

Diniz, contudo, confirmou que o maior número de vagas certamente contemplará as áreas de Saúde e Educação. “Mas teremos também para Secretaria de Obras, Serviços Urbanos, e talvez também para a Procuradoria do Município”, disse o titular da Administração municipal. O concurso destina-se ao preenchimento de cargos efetivos, pois muitos servidores se aposentam, além de outros fatores.

Equilíbrio financeiro

Por outro lado, o secretário Paulo Diniz rebateu críticas infundadas dando conta do excesso de trabalhadores temporários nos quadros do Município. Conforme destacou, a PMCG contrata temporariamente para o atendimento de certos casos, a exemplo da substituição de trabalhadores com licença-prêmio e servidores da limpeza pública.

Além disso, esclareceu que a atual gestão não promoveu o aumento de comissionados, muito pelo contrário. Não existe também um número fixo de prestadores de serviços, os quais são apenas contratados para o atendimento das necessidades da administração do município.

“A PMCG é enxuta e eficiente. Quando as escolas estão fechadas, por exemplo, os prestadores são dispensados, evitando-se custos adicionais no começo ano, especialmente em janeiro. Isto é feito atendendo-se a um planejamento, sobretudo em setores como Educação e Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer”, disse. Só esta medida, conforme relatou, gera uma economia de R$ 3 milhões no início do ano.

“Romero não tomou empréstimos, só fez pagar, inclusive débito dolarizados. São surpresas enfrentadas pelo gestor”, acrescentou.

O secretário disse que 56% das receitas municipais são gastos com pessoal, estando a PMCG abaixo do limite recomendável pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), por adotar uma política de equilíbrio financeiro que garante, por exemplo, o pagamento da folha salarial dentro do mês trabalhado.

Secretario Paulo Diniz confirma que a Prefeitura de Campina Grande fará concurso público

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO