Prefeitura Municipal e Grupo 6 Sigma divulgam estudo com os principais indicadores socioeconômicos de Campina Grande

Numa iniciativa das equipes técnicas da Prefeitura de Campina Grande, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, e do Grupo 6 Sigma foi elaborado um relatório com os principais indicadores socioeconômicos da cidade nos últimos anos, especialmente em 2017 e 2018. O documento revela a pujança econômica da cidade, apesar da grave crise que assola o Brasil nos últimos anos.

Conforme o texto, a população estimada em 2018 é de 407.472 pessoas. O índice de desenvolvimento humano municipal (IDHM) é de 0,720 (com base em dados de 2010). Em 2016, o salário médio mensal era de 2,1 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 26,6%, o que representa 108.477 pessoas.

O rendimento nominal médio dos indivíduos do sexo masculino é R$ 1.298,86, sendo em torno de 43% mais alto do que o rendimento médio das pessoas do sexo feminino (R$ 909,80). O rendimento nominal médio mensal das pessoas da cor branca é de R$ 1.431,08 e da cor amarela é de R$ 1.239,45. Já os afrodescendentes ganham, em média, R$ 876,30.

Ainda de acordo com os dados levantados, à medida que aumenta a idade dos indivíduos o seu rendimento nominal médio mensal também cresce. O nível de instrução também é um fator decisivo para o rendimento nominal médio mensal. O ensino superior é capaz de gerar os maiores rendimentos (num média de R$ 3.109,23) e à medida que o nível de instrução decresce o rendimento individual também cai.

Constatou-se, com base em dados do IBGE (2015), que a cidade de Campina Grande obteve naquele ano o Produto Interno Bruto (PIB) em torno de R$ 8 bilhões. Também foi constatado que, de 2002 a 2015, houve sempre superação do PIB, comparando-se em relação ao anterior.

Quantos aos indicadores da Educação, destacam-se os recentes dados referentes ao número de matrículas em vários setores, tais como: Educação Infantil (15.330), Ensino Fundamental (54,330), Ensino Médio (16.337), Educação Profissional Técnica de Nível Médio (5.010), Educação de Jovens e Adultos-EJA (9.879) e Educação Especial (2.249).

O relatório revela-se importante pelas informações referentes ao volume de importações e exportações da cidade de Campina Grande. Verificou-se que Campina é a que mais exporta no Estado da Paraíba. De maneira acumulativa, de janeiro a setembro de 2018, a Rainha da Borborema exportou 38,47 milhões de dólares. Já a capital do estado (João Pessoa) exportou apenas 7,06 milhões de dólares. Entre os principais produtos exportados estão calçados, granito e fios de fibras sintéticas, entre outros.

Constatou-se que, de janeiro a setembro de 2018, Campina Grande exportou para 68 países, tais como França, Portugal, Filipinas, Paraguai, Argentina, Austrália, Israel, África do Sul e República Dominicana, entre outros. Por outro lado, importou produtos oriundos de 32 países, entre eles Estados Unidos, Dinamarca e China.

O relatório apresenta, ainda, dados referentes ao número de admissões e desligamentos em diversos setores da economia nos últimos anos, a exemplo de campos como indústria, construção civil, comércio, serviços, agropecuária e outros segmentos.

Relatório 2017 – Indicadores Socioeconômico de Campina Grande – Ano de 2017 – Versão Final

Relatório 2018 – Indicadores Socioeconômico de Campina Grande – Outubro de 2018 – Versão Final

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO