Secretaria de Agricultura ampliou e diversificou ações em favor do desenvolvimento agrícola

silagem_seagriUm dos setores que mais avançou ao longo da primeira gestão do prefeito Romero Rodrigues, iniciada em 2013, é o da Agricultura. Esta área foi contemplada com uma série de conquistas, ações e obras, executadas em todas as comunidades rurais do município, atendendo-se a determinação do prefeito campinense. A avaliação é do secretário municipal de Agricultura, Fábio Agra Medeiros, que está no comando da Secretaria Municipal de Agricultura há mais de dois anos.

Segundo o secretário, as comunidades rurais estavam totalmente abandonadas pela gestão anterior, havendo, portanto, para o setor, um grande número de demandas. Por isso, as comunidades distritais passaram a receber investimentos em campos com recuperação de estradas, limpeza e recuperação de açudes, campanhas de vacinação, ações em favor da pecuária, assistência técnica aos agricultores e muitas outras iniciativas capazes de melhorar as condições de vida e de trabalho da população rural.

Ao traduzir em números as realizações no campo agrícola, destacou entre as conquistas do atual governo a aquisição de 16 máquinas pesadas e de diversos implementos agrícolas.  Também houve a conclusão de 332 cisternas na zona rural, além da construção de mais 300 novas, já entregues. A Seagri efetivou a capacitação de 20 pessoas no curso de barragens subterrâneas e construiu dezenas de barragens subterrâneas.  Também está sendo cumprida a meta de limpeza e recuperação de 450 barreiros.

“Limpamos diversas cacimbas e olhos d’água. Construímos quatro barreiros trincheira. Recuperamos sete sistemas de dessalinização de água, poços e abastecemos mais de 500 famílias mensalmente com pipas. Foram mais de 500 km de estradas vicinais recuperados, inclusive os acessos às áreas de produção dos piscicultores do açude José Rodrigues em Galante, que, na época de chuvas, tinham enorme dificuldades de escoamento da produção de tilápia”, acrescentou o secretário.

Vacinação

Mais uma grande conquista, o Sistema de Inspeção Municipal (SIM), possibilitou a fiscalização de mais de 35 mil bovinos para o abate. Pelo Proinsa, foi vacinado o rebanho local contra aftosa, com aplicação de mais de 18 mil doses, além da realização de diversas visitas técnicas, exames clínicos e a inseminação artificial de mais de 400 animais, visando uma melhor produção leiteira.

O secretário Fábio Medeiros também relatou ações, realizadas em parceria com o Instituto Nacional do Semi-Árido (INSA), a exemplo da distribuição de mais de 130 mil raquetes de palma. Em parceria com a Secretaria de Educação e INSA foi possível, ainda, a realização em várias escolas municipais do Projeto “Lendo é que se faz”, contextualizado com o Bioma Caatinga.

Programa de silagem

De acordo com ele, com as ensiladeiras foram produzidas mais de 4.000 toneladas de silagem. Com quatro tratores de pneu foi realizado o corte de terras para mais de 1.000 agricultores anualmente, totalizando, até agora, mais de 8.000 horas/máquina na atual gestão. “Distribuímos sementes de milho e feijão para mais de 3.000 agricultores. Nossas plantadeiras e batedeira de cereais atenderam mais de 400 agricultores no plantio e beneficiamento de grãos”, acrescentou.

Piscicultura

Outra obra consistiu na recuperação do Centro de Produção de Mudas e Piscicultura, no bairro de Bodocongó, onde são produzidas mudas da Caatinga, plantas medicinais, húmus de minhoca e agora raquetes de palma resistente. Houve ainda a implantação, em parceria com a COONAP, da Feira Agroecológica da Reforma Agrária, na praça Clementino Procópio, centro de Campina Grande, sempre às quintas-feiras.

Também houve a permanente contrapartida por parte do governo municipal para o Garantia Safra, assim como toda a mobilização, inscrição e distribuição dos boletos aos agricultores. Esta ação é considerada fundamental por conta da prolongada estiagem que afeta as comunidades rurais de Campina Grande.

Por outro lado, esse ano já foi realizada uma parceria com a Embrapa e Emater, buscando resgatar as culturas do algodão colorido e gergelim, plantas adaptadas às condições do semiárido. Outra meta da gestão é o fortalecimento e a recuperação de nascentes e a produção leiteira, através da agroindústria de beneficiamento de leite de Catolé de Boa Vista, onde foram investidos R$ 120 mil.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO