agentes_saude_dengue

Secretaria de Saúde divulga terceiro levantamento de infestação do Aedes aegypti

A Secretaria de Saúde de Campina Grande divulgou nesta quinta-feira, 13, o terceiro Levantamento Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2017. O índice subiu para 7,2. O número é considerado alto, o que significa um alto risco de transmissão das doenças provocadas pelo mosquito, como dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

De acordo com a Gerente Municipal de Vigilância Ambiental, Rossandra Oliveira, o índice subiu em função do aumento de chuvas na cidade com a chegada do inverno. “O período de chuvas é o mais delicado para o combate ao Aedes porque o acúmulo de água acontece frequentemente. A população precisa triplicar os cuidados”, disse.

Nas coletas realizadas entre os dias 3 e 7 de julho, o bairro com maior índice foi Malvinas I, onde 12,7 % das casas visitadas apresentaram focos do mosquito. Cruzeiro e Jardim Paulistano também apresentaram um número preocupante (10,3%). Os bairros do Centro e da Prata apresentaram índice satisfatório (1,8%) e o menor registro foi no distrito de Galante (1,6%).

Dos 51 bairros da cidade, 44 apresentaram um índice superior a 4,0%, locais onde a situação é de alerta. “Vamos ampliar o trabalho de combate ao mosquito nos pontos mais críticos, mas sabemos que a colaboração da população é fundamental neste processo, principalmente neste período chuvoso”, disse Rossandra.

A Vigilância Ambiental realiza todo um trabalho de borrifação, aplicação de lavircida, retirada de pneus, colocação de peixe em cisternas, distribuição de tampas para reservatórios, circulação de carro fumacê e visita de Agentes de Combate às Endemias.

Fonte: Codecom

Print Friendly
Criar PDF    Enviar artigo em PDF   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO