Secretaria de Saúde forma primeira turma de residência em medicina da família e comunidade

Nesta segunda-feira, 26, a primeira turma de residência em Medicina em Saúde da Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande apresentou os resultados do trabalho desenvolvido ao longo de dois anos. Os sete residentes defenderam seus Trabalhos de Conclusão de Curso no auditório do cinema da Unifacisa.

De acordo com o Gerente de Atenção Básica à Saúde, Miguel Dantas, o curso de formação ajuda a formar e capacitar melhor os profissionais para atuarem nas Unidades Básicas de Saúde e promove uma reflexão sobre o trabalho nos postos. “Esses residentes são acompanhados por médicos mais experientes e, em muitos casos, professores dos cursos de medicina. Dessa forma, nós preparamos melhor os médicos para que façam um melhor atendimento na Rede Básica”, explicou. Seis dos sete residentes formados nesta segunda já eram trabalhadores da Secretaria de Saúde, sendo três concursados e três contratados, além de um estudante da Faculdade de Ciências Médicas (FCM). “Com esse trabalho nós estamos especializando os médicos clínicos que atuam na Rede Básica e ajudando a fortalecer a formação dos estudantes que estão saindo das faculdades de medicina da cidade”, explicou a preceptora da residência, Jeanette Silveira. A Residência Médica de Medicina em Saúde da Família e Comunidade atua nas UBS Ronaldo Cunha Lima, Plínio Lemos, Raiff Ramalho e Galane.

Além disso, os residentes também estão ajudando a melhorar os serviços. O TCC do médico Manuel Messias foi sobre o trabalho da UBS Plínio Lemos e ele constatou a necessidade de fazer uma busca ativa para que os homens frequentem as unidades de saúde. “Durante o nosso trabalho, chegamos a frequentar os campos de futebol aos domingos para convencer os homens de buscar acompanhamento de saúde nas unidades”, explicou durante a sua exposição.

O Programa de Residência Médica de Campina Grande foi iniciado em 2013. O serviço foi habilitado pelo Ministério da Saúde com vagas para pediatria, ginecologia/obstetrícia, medicina de saúde da família e da comunidade e neonatologia. Atualmente são 10 residentes de pediatria, 9 de ginecologia/obstetrícia, 8 de Medicina da Saúde da Família e da Comunidade e 6 de neonatologia, que acompanham os recém-nascidos nos primeiros 28 dias de vida dos bebês. Desde 2013, o número de vagas para cada especialidade já foi dobrado.

Além da Residência Médica, também existem mais de 2.900 estagiários, que atuam em Unidades Básicas de Saúde ou unidades de atenção primária e até a média complexidade. O Pedro I Especialidades, a Ala Geriátrica do Hospital Municipal Pedro I e unidades como a UBS Ronaldo Cunha Lima contam com estagiários.

Fonte: Codecom

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO