SECULT celebra aniversário de Campina através de seus equipamentos culturais

A Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Campina Grande localizada na obra integrada do conjunto arquitetônico do Parque do Açude Novo, foi inaugurado em 1976 pelo Prefeito Evaldo Cruz, o prédio foi planejado pelo Arquiteto Renato Azevedo, sendo considerada uma das construções modernas mais arrojadas e belas do Nordeste, unindo funcionalidade e meio- ambiente. O local é atrativo para visitação pública constante, em razão das exposições na Galeria de Artes, pesquisa de estudantes e professores ao Arquivo Histórico, Memorial Acauã da Serra e eventos realizados no auditório que comporta cerca de 300 pessoas.

Dentre os equipamentos culturais da Secult, destaca-se o Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande, que foi inaugurado em 1983, atualmente gerido pela Secretaria de Cultura, com o principal objetivo de relatar a história econômica, política, social e cultural da cidade, através de peças originais que representam simbolicamente, o cotidiano dos campinenses e pioneiros que   aqui habitaram.

O Prédio foi inaugurado em 1814, onde funcionou simultaneamente a Cadeia Pública e a casa da Câmara, ainda quando Campina Grande não havia sido emancipada, sendo conhecida como Vila Nova da Rainha, o sobrado histórico também abrigou o primeiro telégrafo da Cidade.

Com a lei 5.288 de 1967, foi concedida a criação do Museu localizado na  Avenida Floriano Peixoto, exercendo até hoje a difusão do desenvolvimento histórico, social e cultural de Campina Grande.

Considerando a importância desse equipamento cultural para cidade, um relatório contendo todas as necessidades de restauro foram providenciadas pela Secult, sendo encaminhado para A Secretaria de Obras do Município, com o intuito de otimizar , a reparação e conserto na estrutura física do prédio,  todo acervo memorialístico e histórico estão devidamente arquivados na sede da Secult e serão expostos para visitação na semana que comemora-se os 154 anos de Campina Grande, programação que terá inicio próximo dia 08 e se estenderá por todo o mês de Outubro.

O Museu do Algodão, localizado na antiga Estação Ferroviária da Geat Western os Brazil Rayway, construída por engenheiros ingleses e inaugurada em 1907, foi a grande propulsora do desenvolvimento econômico, social e cultural da Cidade, ao impulsionar a exportação de algodão durante o fastígio do ciclo algodoeiro de Campina.

O trem que levava o algodão e alcançava os portos mais distantes trazia na volta o luxo e a modernidade das últimas novidades, bem como os forasteiros estrangeiros que aqui chegavam e fizeram fortunas com o “ ouro branco”. Efervescência   proporcionada  pela chegada do trem, aliada a riqueza do algodão fez nascer o teatro, o carnaval de rua, a arquitetura Art Déco e as industrias pioneiras. Esta secular história de Campina Grande é vista, anualmente por milhares de turistas, acentuando-se no Maior São João do Mundo, no Museu do Algodão, instalado no ano 2000 no interior da Estação Velha.

Centro Cultural Lourdes Ramalho, também equipamento da Cultura, espaço que busca investir na construção de mentalidade social dispõe de várias  atividades artísticas , dentre elas : Balé clássico, Dança do Ventre, Dança Flamenca, Danças de Salão ( tango, bolero, salsa, merengue, rumba, gafieira, samba e forró), atividades recreativas para terceira idade, pilates, yoga, artes plásticas, capoeira, violão e teclado, dentre outros, oferecido gratuitamente para população campinense.

Memorial Severino Cabral,a casa que foi residência do Prefeito Severino Cabral, um dos maiores líderes políticos da Paraíba, integra a memória urbana da cidade como patrimônio arquitetônico secular. Entre as décadas de 1950 e 1960,a casa foi frequentada por nomes importantes da política brasileira, como o presidente Getúlio Vargas e foi sede de grandes decisões que influenciaram na história política paraibana. Hoje, transformada em Casa de Cultura e Memorial, o local expõe importante acervo sobre a vida e a obra de Prefeito Severino Cabral, desenvolvendo um calendário de atividades artísticas e culturais durante todo o ano, com entrada gratuita para o público.

Ao longo do Mês de Outubro a Secretaria de Cultura de Campina Grande através do Teatro Municipal Severino Cabral, Centro Cultural Lourdes Ramalho, Museus Histórico e do Algodão, Biblioteca Municipal e A Filarmônica     Epitácio Pessoa, prepararam  uma vasta programação, alusiva ao aniversário da cidade, relatando toda a pujança e determinação do povo Campinense.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO