Seduc promove resgate histórico e tem participação decisiva no recorde do “quadrilhão”

quadrilhas_escolas-A Rede Municipal de Educação de Campina Grande marcou presença no Maior São João do Mundo promovendo o resgate histórico e cultural do evento e valorizando a tradição das quadrilhas. Entre as ações desenvolvidas no mês de junho está o projeto “Passeio Cultural” e a participação dos estudantes no recorde de Maior Quadrilha Junina do País, além da parceria com a Secretaria de Assistência Social (SEMAS) no combate ao trabalho infantil no Parque do Povo.

Através do Projeto “II Passeio Cultural”, a Secretaria de Educação promoveu visitas de estudantes da rede municipal ao “Memorial do Maior São João do Mundo”, espaço que reúne um rico acervo que conta a história dos 32 anos da festa. São fotos, jornais, cartazes, vídeos e obras de arte que demonstram a evolução do evento, destacando a construção do Parque do Povo e as mudanças de estilo que marcaram cada época.

Cerca de 200 estudantes de 10 escolas da Rede Municipal participaram das visitas, de acordo com levantamento da diretoria técnico-pedagógica da Seduc. Além de visitar o Memorial, criado e mantido pela professora Cléa Cordeiro na Rua Tiradentes, os alunos também participaram de visitas ao Parque do Povo, sempre nos turnos da manhã ou tarde e sob a supervisão de professores e da equipe técnica da Secretaria.

Os alunos também tiveram participação decisiva no recorde do “Quadrilhão Junino”, conquistado por Campina Grande em 17 de junho. Ao todo, 10 escolas da Rede Municipal participaram do desafio com suas quadrilhas, contribuindo com cerca de 150 casais para a obtenção do título. O recorde, que já pertencia ao município, foi batido com a marca total de 725 casais no Parque do Povo. Entre as escolas participantes estão: Leonardo Vitorino, Doutor Chateaubriand e Maria José de Carvalho.

Além do Quadrilhão, a tradição das quadrilhas esteve presente em quase todas as 119 escolas da Rede Municipal. Cada unidade desenvolveu uma programação específica para as festas juninas, de acordo com a tradição e os costumes da comunidade onde estão inseridas. Muitas escolas, por exemplo, destacaram a cultura negra ou indígena nas vestimentas, danças e músicas de suas quadrilhas juninas.

TRABALHO INFANTIL

Uma ação articulada entre as secretarias municipais de Educação (Seduc) e Assistência Social (Semas) também promoveu o combate à exploração do trabalho infantil no Parque do Povo. Equipes das duas secretarias atuaram na busca ativa, identificando crianças e adolescentes em situação de risco e encaminhando-os para uma área do Centro Cultural onde recebiam orientações e participaram de atividades pedagógicas. A estimativa é de que mais de 120 crianças foram atendidas durante os 30 dias de festa.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO