Segundo Salão da Dengue e Chikungunya é realizado na próxima semana em Campina

dengue_salaoO 2º Salão da Dengue e Chikungunya de Campina Grande começa na próxima segunda-feira, 24, e vai até o dia 28. O salão apresenta trabalhos realizados por alunos da Rede Municipal de Ensino ligados a ações de combate às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Os cerca de 150 estudantes do Ensino Fundamental de 35 escolas campinenses prepararam painéis, cartazes e quadros que mostram dicas de como combater os focos do mosquito e apresentam informações e curiosidades sobre as doenças. O espaço fica aberto para visitação.

A exposição será realizada no Centro de Tecnologia Linaldo, no largo do Açude Novo no horário de 8h às 17h com intervalo de almoço das 11h às 13h. No último dia do evento, 28, o encerramento será a partir das 14h no Teatro Municipal Severino Cabral com apresentações culturais, sorteio de brinde e a premiação da melhor escola do Salão.

O evento tem como lema “Trabalhar a Prevenção da Dengue e Chikungunya de Forma Lúdica e Interativa”. Os alunos participaram durante três meses de palestras, conscientização e atividades de prevenção à dengue e à chikungunya dentro das escolas e em casa. A ação é desenvolvida pela Secretaria de Saúde, por meio do Núcleo de Educação Ambiental, e pela Secretaria de Educação do município.

“São atividades dentro e fora da escola, visando sensibilizar a equipe escolar e a comunidade sobre a importância da responsabilidade coletiva na luta contra o mosquito Aedes aegypti, fazendo com que todos se tornem agentes multiplicadores”, disse a Coordenadora de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Rossandra Oliveira.

“O larvicida não tem sido suficiente para combater a dengue. Fizemos trabalho de borrifação, recolhimento de pneus, carro fumacê, vedação de reservatórios, distribuição de peixes para as cisternas, mas percebemos que as pessoas precisam ajudar os nossos Agentes de Combate às Endemias. Por isso, realizamos estas campanhas educativas, que conscientizam para a prevenção. Também disponibilizamos um canal via whatsapp para que os moradores denunciem onde há possíveis criadouros do mosquito. O telefone é 99991-0553. Estamos falando de um problema de saúde pública e que deve ser combatido coletivamente”, disse a Diretora de Vigilância Sanitária do município, Eliete Nunes.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO