SEMAS comemora redução do trabalho infantil e exploração sexual durante o São João

A coordenação da Ação Intersetorial através da Secretaria de Assistência Social (Semas), apresentou na manhã desta quarta-feira, 25, no auditório da Vila do Artesão, o relatório final das ações realizadas durante o Maior São João do Mundo, no Parque do Povo, junto as instituições parceiras e toda a Rede de Proteção á criança e adolescente de Campina Grande (REDECA), Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, Ministério Público do Trabalho, Policia Militar, Equipe Técnica de Abordagem Social e Conselho Tutelar. No combate a exploração do trabalho infantil, comercialização de bebidas alcoólicas e exploração sexual infantil.Desde de 2014 a Semas desenvolve através da Ação Intersetorial durante 21 noites de festa, no período junino no interior do Parque do Povo, ações para evitar a violação de direitos de crianças e adolescentes. Cerca de 45 técnicos sociais realizam no período de quinta a domingo, e nos dias dos grandes shows onde o Parque do Povo recebe um maior número de visitantes, um trabalho de abordagem social e acolhimento dessas crianças que foram identificadas em situação de vulnerabilidade social, exploração do trabalho infantil e sexual.

Enquanto isso a Secretaria de Educação, fazia o acolhimento dos jovens na sala pedagógica, localizada no Centro Cultural Lourdes Ramalho, já a Secretaria de Saúde realizava os atendimentos emergenciais caso o jovem estivesse sob o efeito de substancia psicoativa.Os técnicos da assistência social, também desenvolveram um trabalho de orientação e conscientização aos barraqueiros e comerciantes sobre a importância do combate á exploração sexual, venda e comercialização de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos e exploração do trabalho infantil no período junino.

REDUÇÂO

No ano de 2014 foram registrados 486 crianças e adolescentes cujo tiveram seus direitos violados durante o período da festa. Em 2015 esse número caiu para 204, já em 2016, mesmo com o crescimento do evento e seu público, aconteceu redução sendo registrados 161 casos de crianças e adolescentes atendidas pelas equipes da ação.Em 2015, foram registrados 55 casos de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, já em 2016 esse número caiu para 43 casos da mesma situação. Na edição de 2017 aconteceu 97 abordagens, em 2018 este número caiu para 76 casos, uma redução de 21,6%, identificando situações de vulnerabilidade de vários tipos, trabalho infantil e uso de substancia psicoativa, desses 57% foram do sexo masculino, 39% feminino e 3% não consta o sexo, 14 encaminhamentos foram realizados de acordo com a necessidade da demanda. No total houve uma redução de 85% de situações identificadas de vulnerabilidade e risco social da edição de 2014 para 2018.

A redução desses números é fruto da intensa fiscalização da ação no ambiente da festa, bem como o comprometimento de todos que fazem parte da rede de proteção a criança e adolescente.

“A Ação Intersetorial comemora uma redução de 85% dos casos de violação desde 2014 durante o São João, houve também uma redução dos tipos de violação identificados nos anos anteriores, com isso percebemos que a sociedade vem colaborando e entendendo o real objetivo do nosso trabalho, que é proteger crianças e adolescente do risco que a festa oferece a esses jovens. A situação mais encontrada pelas equipes de abordagem social, foi a exposição de crianças acompanhadas pelos seus pais na festa, mesmo não sendo identificado o caso de trabalho infantil, essas situações não deixa de expor a criança aos riscos”, destacou Úelma Alexandre, coordenadora da Ação Intersetorial.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO