SEMAS promove ação 18 de maio no Parque do Povo

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande, através da Diretoria de Proteção Básica, Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDDCA), Pastoral da Mulher e as Instituições que compõem a Rede de Proteção a Crianças e Adolescentes de Campina Grande (REDECA), realizaram uma mobilização na tarde da última sexta feira, 18, no Parque da Criança.

A mobilização teve o apoio do Centro de Referência em Assistência Social- CRAS Glória, onde realizaram panfletagem sobre a campanha 18 de maio “Faça Bonito”, um enfrentamento á violência sexual contra crianças e adolescentes. A ação realizada no Parque da Criança teve o objetivo de atingir todos os públicos, compreendendo a abrangência do CRAS Glória, o Parque da Criança é um local público onde encontra-se dos mais vulneráveis até a classe mais alta.

Segundo Vanessa Dantas, coordenadora do CRAS Glória, o crime, a violência e o abuso sexual não escolhe classe social. A campanha visa orientar o maior número de pessoas sobre a violação de direitos, realizamos abordagem e panfletagem no local, esperamos atingir cerca de 200 pessoas, além do material elaborado para as crianças, ” relatou Vanessa.

O material distribuído na ação contém informações da Campanha 18 de maio e como pode ser denunciado e identificado crimes de violência sexual contra crianças e adolescentes.

O Centro de Referência em Assistência Social – CRAS é responsável pela efetivação dos direitos socioassistenciais, como a “porta de entrada” da assistência, oferecendo em rede ações de prevenção de situação de risco social. O CRAS Glória tem uma abrangência de bairros de Campina Grande, além da zona rural.

18 DE MAIO

Em 18 de Maio de 1973, uma menina de apenas 8 anos de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo foi encontrado seis dias depois, carbonizado e seus agressores nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao abuso sexual e a exploração sexual de crianças e adolescentes”, a partir da aprovação da Lei Federal nº9.970/2000. O caso “Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há 45 anos, mas, infelizmente situações de abuso sexual ainda se repete.

Lembrando que a população pode realizar denúncias dessa natureza de forma segura e anônima, através do Disque 100.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO